TENHAM JUÍZO

JOSÉ MAURÍCIO DE BARCELLOS

Referindo-me às dificuldades pelas quais o governo central está atravessando no início do seu mandato, digo que pessoalmente já esperava que os vencidos, dentre os quais se inclui uma gente ruim, da pior espécie, faria realmente uma oposição virulenta, odienta e inconsequente sem se preocupar como Brasil. Lembro que quando, em 1990, o ladrão esquizofrênico Collor de Mello derrotou o “Analfa de Garanhuns”, a quadrilha deste desclassificado, então bem menor e menos ofensiva que a de agora, a se ver impactada e zonza com a derrota acachapante, montou um patético “Governo Paralelo” objetivando destruir o governo que o povo elegeu. A baboseira nem cócega fez e se esvaiu na ridicularia de sua própria pretensão.

Estou lembrando este triste episódio da paupérrima vida política nacional para argumentar perante meus caros leitores que aquela gente mal-intencionada é medíocre desde a origem. A atitude e o procedimento da esquerdalha da época, com Lula e FHC na liderança, servem para bem revelar o baixo nível da trupe que acabou tomando o Brasil de assalto nos últimos 30 anos.

Tudo quanto estão fazendo contra a soberana vontade popular que, no ano que passou, disse nas urnas aos patifes um não rotundo, na essência não é nem um pouco diferente daquela palhaçada da década de 1990. As quadrilhas de Sarney a Temer tramam e torcem para que o Presidente eleito se esborrache. Os antigos parlamentares que não foram escorraçados no pleito eleitoral de 2018, cheios de má intenção, se mexem e se deslocam pelas catacumbas de Brasília, ou seja, pelos porões dos palácios e pelos subterrâneos do Congresso. Quando vejo aparecer na mídia covarde e facciosa uns mequetrefes do PT, do PCdoB ou do PSOL, sem honra e sem verniz, sorvendo cada factoide reverberado ou criado pela extrema imprensa principalmente contra o Capitão e sua família, fico convencido de que o Movimento Revolucionário de 2018 salvou o Brasil de se transformar em algo bem pior que uma Venezuela.

O modelo de jornalista Alexandre Garcia que nunca permitiu ser comprado, ainda outro dia alertou para a ação sorrateira dos inimigos do Brasil que, liderados pelo “Sistema Goebells de Comunicação”, querem porque querem difundir a ideia no sentido de que foi ilegítima a eleição de Bolsonaro. Este é o pano de fundo encomendado pela abominável classe política, bem como assim pelos donos do poder até agora. Tudo está sendo premeditado.

Vejam como estão emporcalhando e comprometendo a Nação Brasileira. O antes desacreditado e agora vergonhoso STF com certeza que está disposto a tudo para destruir a Lava Jato e os magistrados do mal estão prontos para colaborar com seus planos malignos. Nem estão se importando mais em esconder coisa alguma. Como se viu recentemente, um desembargador já acusado de corrupção, pressionado por Brasília durante um fim de semana, traiu a vontade de seus pares e na segunda feira seguinte soltou o grande “Corrupto dos Porões do Jaburu” e o Ministro genro de um dos maiores cretinões da política carioca investigado na Lava Jato no STF e filho de um conhecido camaleão condenado, pela Justiça do Rio, por improbidade administrativa, o mesmo que um dos filhos de Bolsonaro colocou para correr nas últimas eleições.

A desmoralização do Brasil perante a comunidade de Nações livres e soberanas, mesmo que não tenha até aqui logrado empanar o brilho da política externa atual, continua nos fazendo sofrer. A imprensa internacional acabou de revelar que o assassino Cesare Battisti não só confessou seus crimes cruéis, como também escandalizou o mundo dizendo que Lula, Dilma e sua bandidagem no Planalto foram autores dos crimes de auxílio e ocultação de criminoso, delitos previstos na lei Brasileira e na maioria das legislações penais dos países civilizados. Corre pelas redes sociais e está no Twitter do Presidente Bolsonaro, uma foto com vários esquerdopatas rindo e dando as mãos àquele criminoso internacional. Quando a hora chegar penso que todos devem ser processados e cassados como vendilhões da Pátria.

Percebam o que estão fazendo com nossa sociedade. Em cada lar, em cada coração dos cidadãos de bem deste País, já está o temor de que Lula – o traidor do povo – se valha dos petulantes préstimos dos “Mandarins Solta Bandidos” para sair do xilindró. Outro fato: o grande capadócio da Câmara Alta, que depois da prisão do sogro a quem assessorou e obedeceu no governo do “Fora Temer” deveria ter renunciado a seu mandato – proporcionado pela desonesta turma da propina na Odebrecht e na rabeira da corrida eleitoral – teve agora a petulância de agredir gratuitamente o magnifico Sérgio Moro, justo este homem que a comunidade internacional reconhece como “décimo-terceiro maior líder do mundo”. Quem aquele “ordinariozinho” pensa que é?

Tudo isso e mais a revolta da parte podre do Congresso contra a firme atitude do Capitão em defesa dos cofres públicos e contra o indecente aparelhamento da máquina governamental está sendo utilizado contra o próprio Chefe do Executivo para tentar colar nele a pecha de tosco e despreparado, de violento, de intransigente, de fascista, para defini-lo como incompetente e sujeito a um impeachment.

Estes dias correu a notícia veiculada por um jornalão que ficou órfão do erário nacional, que o “Mistério Público”, o tal que a meu sentir não pode escapar do alcance da “Operação Lava Toga”, aliado a meia dúzia de covardes, ladinos sem brios e sem honra, quer requerer o impeachment do Capitão porque este mandou que se comemorasse o dia da Revolução Civil Militar de 1964, que salvou o Brasil das garras do comunismo russo e cubano. Bem que gostaria de cruzar na rua com um porcaria deste para lhe dizer o que pensam os homens de honra desta Nação Verde e Amarela e sentir de que têmpera essa gente é forjada.

A propósito da Revolução de 1964. Aqui tem uma ponta da história que continua solta. É imperioso que os patriotas no Congresso (Alou bancada Verde e Amarela!) legislem no sentido de se mandar rever os atos espúrios e lesivos aos cofres públicos praticados pela tal Comissão da Verdade (ou Comichão que Deu nos Covardes) e que se criminalize toda insidiosa, covarde e mentirosa tentativa dos esquerdopatas de nominar como “Ditadura” o Movimento Civil Militar de 1964. A Nação brasileira deve esta reparação às Forças Armadas que novamente a salvou da desgraça do social-comunismo e ademais nós elegemos o Capitão justamente para isto, também.

Espero que continuem nos insultando e tramando contra nossa Pátria até que a hora do confronto que tanto provocam chegue logo para acertarmos contas antigas. Não há nada demais nisso que almejo, pois se os bandidos guerrilheiros e terroristas que um dia com Lula e Dilma encheram o Planalto tivessem ganho a guerra de 1964, nenhum dos patriotas de hoje teriam sobrevivido ao paredão. Vivo sonhando com o dia em que poderemos ficar frente a frente com os “uspinianos” do tipo FHC, Chauí, Haddad, Manuela, Boulos e Tiburi, bem assim com os famosos da roubalheira Rouanet e tantos outros canalhas, em especial um doente que se vestiu com a faixa presidencial, ultrajando um símbolo da República. Espero que realmente algo aconteça como, por exemplo, o STF soltar Lula e todos os demais presos da Lava Jato, para em razão de uma inevitável ruptura encarar não só os príncipes e mandarins da capa preta, mas também o bandidaço Zé Dirceu, o tresloucado Ciro Gomes, o velhaco Stedile, a turma dos Sindicatos, dos Movimentos invasores e quejandos.

Vamos acabar com essa farsa. Ganhamos em 1964 e agora em 2018, nas ruas e nas urnas. Como diria minha avó, quem não gostou coma menos. São os cativos canastrões do “Sistema Goebells” e a bandidagem da política nacional que darão o tom do enfrentamento. A bola está com eles, como dizem os jovens. Viemos para ficar e digo, sem medo de errar: ninguém arranca mais os militares e os homens de honra de dentro do Planalto “daqui pra frente”. Tentem se tiverem coragem! Em 07 de abril próximo vamos para as ruas, convocados pelos Movimentos Sociais para mostrar que estamos vivos e vigilantes.

Viemos para colocar as coisas nos eixos, portanto permitam que, dentre outros, o Professor Paulo Guedes e Sérgio Moro trabalharem em paz. Somos quase 60 milhões de brasileiros que confiaram o Brasil a Bolsonaro. Viemos para prender os assassinos cruéis e liquidar com o crime organizado. Viemos para trucidar a esquerdalha que antes andava solta com as chaves dos cofres do erário no bolso. Viemos para salvar as famílias, a cultura judaico-cristã, e os valores cívicos e morais de nossa sociedade da sanha deletéria da esquerda delinquente. Viemos para resgatar as escolas e as universidades do comunismo ateu e incompetente. Viemos para salvar a economia da miséria em que foi jogada e colocar a Nação no lugar que há muito faz jus no cenário internacional. Viemos para salvar 15 milhões de desvalidos pelo desemprego das mãos da “petralhada” e de suas agremiações satélites. Viemos enfim para que nossa gente tenha saúde, educação, segurança e muita riqueza como deve ter quem nasce nessa Terra de Santa Cruz.

Com quem aquela gente está contando? Com Maduro? Com os Cubanos? Com o tal exército do Stedeli? Agora que Bolsonaro tirou as mãos sujas da esquerdalha do dinheiro público, de onde virão os recursos para enfrentar as Forças Armadas? Tenham juízo seus covardões! A baiana de vocês não tem essa roda toda. Façam como FHC, como Dilma, como Chico Buarque e muitos canastrões da telinha; como os filhos do “Molusco Enjaulado”; como os Marinhos e se mandem para Europa, Portugal ou Paris, já que para Cuba e Venezuela os sabidões não querem ir. Acabou vermelhada! Deixem o Brasil para quem é capaz de dar a vida pela Nação Verde e Amarela.

Jose Mauricio de Barcellos ex Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado. Email: bppconsultores@uol.com.br).

Esta entrada foi publicada em Política. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *